A Craque Dexaketo Textos

A Craque – Capítulo 10

Capítulo Anterior

Faltavam 5 dias para o jogo, quando numa jogada normal de treino, Leazinha sentiu o tornozelo. A famosa “virada” de pé quando pousou do ataque. Carregada pelas colegas foi levada até a fisioterapia do clube. Rapidamente, o fisioterapeuta colocou um gelo e fez os primeiros exames, para saber se não havia ocorrido nada grave.

Em meio à espera pelo resultado, Leazinha dormiu. Naquele instante, Rayane aproveitou-se de um momento a só com o fisioterapeuta para pedir um favor dele, em troca, ele ganharia uma noite de prazer com ela. O fisioterapeuta que estava louco por uma chance desde que a “cobra” chegou perguntou o que ela queria. Ela pediu para ele afirmar que Leazinha estaria fora do jogo contra o Luprana, melhor, fora do 1º turno do estadual, ou seja, uns 3 meses de molho. O fisioterapeuta afirmou que ela ficaria no máximo 3 dias mal, e que ela perceberia que estava boa. Rayane, que o agarrava, logo o solta, afirmando que sem o falso diagnóstico, ele jamais a teria. Tarado na moça, o fisioterapeuta concorda em fazer essa covardia.

Rayane tenta sair escondida da sala de fisioterapia, mas Alê a flagra e pergunta o que ela estava fazendo ali, ela afirma que ela estava apenas visitando a amiga, porém ela estava dormindo e por isso passaria outra hora. Alê sorrir e afirma: “Cobra, tu aprontou algo! Conta logo!” Rayane manda Alê se f**** e vai em direção da quadra, aonde o treino recomeçaria. Alê fica encucada, mas volta para quadra também.

Ao término do treino, Raí vai na fisioterapia e descobre que Leazinha estava fora do 1º Turno. O bandido do fisioterapeuta afirmou que ela precisaria de 3 meses de repouso total para evitar a ruptura do ligamento do tornozelo. Leazinha acorda e se desespera ao ouvir o diagnóstico. Raí diz para ela não se desesperar, porque ela só perderia o 1º turno, e estaria de volta inteiríssima para o 2º turno. Ela sorrir, mas fica revoltada com a situação.

O tempo passa, exatamente, 3 dias. Leazinha se acorda e percebe que seu pé não tem mais nada. No café, ela pergunta para o Seu João sobre o pé. Ele disse que não entendia nada disso, mas que aparentemente não tinha nada. Ela acha estranho por causa do diagnóstico do fisioterapeuta. Ela resolve fugir do repouso e vai até o LEJ.

Ao chegar no LEJ, Alê a aborda e pergunta o que a nova “aleijada” estava fazendo ali. Leazinha não responde e vai direto na sala de Raí. Já na sala, Raí se assusta ao ver sua atleta ali e dar uma bronca pesada nela por ter fugido do repouso. Ela afirma que o pé dela está 100%, ela não sentia nada, e só estava ali para entender o porquê disso, já que ficaria 3 meses afastada. Raí vai com Leazinha até o fisioterapeuta.

Na fisioterapia, o desgramado e cara de pau do fisioterapeuta reafirma que ela precisará ficar 3 meses, e que o fato dela não sentir mais dor, não significava nada, pois era algo muito interno, que os exames diagnosticaram. Ele mentiria dizendo: “Você voltaria e no primeiro ataque, sentiria novamente. Recomendo seguir os 3 meses em repouso e com muito gelo. Não precisará operar, só repousar. Aliás, deveria retornar para casa agora, vir ao clube já pode ter forçado algo.”

Ao sair de lá, Leazinha pergunta ao Raí, se poderia acompanhar o jogo do banco. Ela não estrearia, mas seria importante está com suas colegas no primeiro jogo. Ele concorda e acha bonito a ação de Leazinha. Quando ela vai saindo do clube, Raí percebe que nem mancar, ela mancava. Apesar de tudo, não poderia desconfiar da fisioterapia do clube.

Ao término do treino, Alê resolve passar no judô do clube, pois sua namorada estava treinando lá. No LEJ, o judô ficava entre a piscina e a lanchonete, o que dava perto de um lugar chamado “inferninho”, um ponto cego das câmeras, um corredorzinho, aonde alguns “atletas sapecas” aproveitavam para dar uns amassos, principalmente, no fim da noite, quando os treinos encerravam. Alê passa perto do inferninho e percebe que tem alguém ali. Como uma boa cearense, foi lá “curiar”, e viu que era Rayane e o fisioterapeuta. No meio dos amassos, entre um gemido e outro, Rayane falava que ele sendo um bom garoto, ele sempre ganharia a recompensa. Alê, sempre esperta, somou um mais e um, e entendeu o que aconteceu com Leazinha.

E agora? Ela seria capaz de “enredar” Rayane e o fisioterapeuta? Ela também estava nem aí para Leazinha, porém seria um “tesão” queimar Rayane. O que ela faria? Digo amanhã!

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: