Carnaval 2022 Dexaketo Samba Grupo Especial RJ 2022

Estação Primeira de Mangueira – Sambas Finalistas – Carnaval 2022

*** LETRA DOS SAMBAS ***

Moacyr Luz e Cia (00:07)

Mangueira teu cenário é poesia
Liberdade e autonomia
Que o negro conquistou ôôô
Mangueira a alvorada anuncia
O legado a dinastia
A sabedoria se chama Angenor
Nesse solo sagrado o samba ecoou
Tem cantor, mestre-sala e compositor
Lustrando sapato, vendendo jornal
Chapéu de pedreiro no mesmo quintal
Três iluminados reis do carnaval

As rosas não falam mas são de Mangueira
Eu vi seu Laurindo beijando a bandeira
José Clementino na flor da idade
O sol colorindo a minha saudade

É verde e rosa a inspiração
A devoção por toda nossa raiz
Quem traz a cor dessa nação
Sabe que o morro é um país
A voz do meu terreiro
Imortaliza o samba
E quem guardou com amor o nosso pavilhão
Tem aos seus pés a nossa gratidão

Só sei que Mangueira é um céu estrelado
Não é brincadeira sou apaixonado
A Estação Primeira relembra o passado
Valei-me Cartola, Jamelão e Delegado.


Paulinho Bandolim e Cia (08:10)

MANGUEIRA
NOS ACORDES DA SAUDADE VAI BUSCAR
O ANGENOR QUE ESCOLHEU AS NOSSAS CORES
CIMENTOU A POESIA NESSE MORRO SINGULAR
ENFIM… AH! MEU JARDIM
ONDE A BRISA TRAZ INSPIRAÇÃO
HABITADO POR VERSOS E MÃOS CALEJADAS
O CHÃO DA POBREZA ME FEZ REALEZA
E AINDA QUE AS ROSAS NÃO FALEM
SEU PERFUME EXALAM POR NOSSA ESCOLA
INEBRIAM MENINOS QUE SONHAM EM SER CARTOLA

OUÇA A MINHA VOZ
NO SOBE E DESCE DAS LADEIRAS
NO CANTAR DAS LAVADEIRAS
NO TIMBRE DO BAMBA JOSÉ

OUÇA A MINHA VOZ
NA APOTEOSE, UM TROVÃO
DE LUPICÍNIO ÀS GAFIEIRAS
ECOA O REI JAMELÃO

DINASTIA DO VELHO MARCELINO
LAURINDO, OBÁ DA FAVELA
EM CADA CORPO UM BAILARINO
GINGA FEITO DRIBLE NA VIELA
NO ASFALTO, SENTINELA DO ESTANDARTE
SOU MESTRE-SALA
CARREGO UM LEGADO EM MEUS PÉS
APRENDI COM DELEGADO
A FLUTUAR PRA GANHAR A NOTA DEZ
EU SEI QUE NO CÉU ELES BRILHAM POR NÓS
PARECEM ESTRELAS DA MINHA BANDEIRA
SÃO PRETOS REIS ILUMINANDO A ESTAÇÃO PRIMEIRA

VOCÊ SABE O QUE É TER UM AMOR?
MANGUEIRA, MEU DOM É COMPOR
CANTAR E DANÇAR POR VOCÊ A VIDA INTEIRA
HERDEI A NOBREZA DO SAMBA
O MESMO SANGUE NA VEIA


Ezio San e Cia (16:55)

Soa Poesia na voz dessa gente
Retinto bailado, gingado indolente
A trinca de ouro da nossa Cultura
Eu sou a Mangueira, ninguém me segura!

Em cada “canto” do morro haverá:
Um quê de arengueiro e “Minha” viola
A “Rosa” de raro perfume
Do verde ao lume
Do sonho à escola
Na “Alvorada” em poesias
“Construindo” melodias
Cordas de aço em nossa trincheira
E se “O Mundo é um Moinho”
A sorrir em meu caminho
Volto à Estação Primeira

“Minha Mangueira”
Nunca se esqueça de quem é a sua voz
O povo “interpreta” na avenida
Quem “interpretou” em vida
A emoção de todos nós

Quem sou eu pra ter direitos exclusivos sobre ela?
Se o samba é matriz lá na favela
E o artista no asfalto… “Autoridade”
Feito o Pai da nota dez
Ilustre filho deste chão
Conduz em passos tão lindos
Uma legião de Angenores, Josés e Laurindos
Que tiram versos da “CARTOLA”
Em doces notas feito “JAMELÃO”
O samba nasceu “DELEGADO” à Primeira Estação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: