Bromismo Dexaketo Poesias

Procurando Tempo

Os minutos passam…

A cada número que vira no relógio

Eu estou mais enclausurado

e Longe do meu sonho de infância.

As horas passam…

E quanto mais perto do fim do dia

Mais lamento o fardo

De ser um delírio próprio.

Minha alma rasga

O destino caçoa de mim

A vida tenta me sacudir.

Eu sou o esboço do meu rascunho

O Cara que está preso no tempo

O futuro na mente e o presente sem saída!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: