A Incrivel História de Arturo Sambrozza Dexaketo Textos

A Incrível História de Arturo Sambrozza – Capítulo 4

Capítulo Anterior

Ao chegar em Campina Grande, Arturo descansou legal! A sua soneca após algumas horas de viagem foi inevitável! Ao acordar já era noite, ele sabia que isso significava ir curtir aquele São João porreta que só Campina Grande tinha! Ele se emperiquitou todo, estava tão cheiroso que dava para sentir seu perfume há umas 10 esquinas de onde ele estava. Seu objetivo seguia evidente, era conseguir terminar a noite com a mais bela paraibana nos seus braços. O cheiroso foi para o Forró, só não sabia o que lhe esperava.

Já naquela festa gigantesca, ele chegou a se perder de si mesmo. Ficou encantado com aquela multidão cheia de felicidade e com o show de Alceu Valença. Por volta das 2 da manhã, acreditava que iria fracassar em seu objetivo. Com uma latinha na mão, resolveu ir dançar sozinho. De repente, Arturo escutou uma voz feminina mangar dele. Quando o bonito ergue a cabeça, ele dar de cara com Rosinha. Sim, a romeira! Ele abriu aquele sorrisão típico dos homens apaixonados ao vê-la, perguntou o que ela estava fazendo ali. Rosinha explica que veio curtir o São João com alguns amigos pernambucanos. Arturo pergunta aonde estava o pai de Rosinha. A menina sorrir e diz que ali não era momento de falar do pai dela. Ela o pega e os dois começam a dançar o forrozinho. Quando os dois se abraçam, Alceu começa a cantar “Anunciação”. O taradão estava convertido! Ele não se aguentava diante Rosinha! Seu coração batia mais rápido que a guitarra e a Sanfona juntas!

A música combinou com aquele momento de uma maneira mágica. Bastou Alceu cantar “A voz de um anjo sussurrou no meu ouvido”, para ela se aproximar de Arturo e sussurrar em seu ouvido lhe pedindo um beijo. O ósculo era inevitável. Um beijo que merecia ser anunciado nos sinos das catedrais! Arturo estava mais entregue que Alceu pela “Belle de Jour”.

Ao fim do beijo, ela sorriu e foi embora. Ele começa a correr atrás dela e ela com aquele sorriso, fugindo dele em meio à multidão. Ele não a encontra, a “Morena Tropicana” havia fugido. Arturo sentou-se no chão e ficou apenas com o cheiro dela grudado em sua roupa. Pedir uma dose de Ypióca naquele momento, era mais inevitável que o beijo mágico que ocorreu há alguns instantes.

Já no Hotel, por volta das 4 da manhã, Arturo começou a arrumar as coisas. Campina Grande não precisava o lembrar de Rosinha. “Maldito São João!”, explanava nosso dramático mocinho. Quando a última roupa era guardada na mala…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: