Todos

Motivação e Tempo de Reação de Universitários Praticantes e Não-Praticantes de Exercícios Físicos

RESUMO

O objetivo do estudo foi analisar as relações entre as motivações intrínsecas e extrínsecas para a prática auto relatada de exercício físico (EF) de estudantes universitários e seu desempenho no tempo de reação total com estímulo simples visual. Participaram do estudo 212 universitários matriculados em uma instituição de ensino superior de Florianópolis, Santa Catarina, sendo 98 (46,2%) do sexo masculino e 114 (53,8%) feminino, na faixa etária entre 18 e 45 anos, sendo 147 praticantes de EF e 65 não praticantes. A motivação para prática de EF foi avaliada através do Questionário de Regulação de Comportamento no Exercício Físico-2 (Behavioral Regulation in Exercise Questionnaire-2) BREQ-2, medindo cinco construtos baseados na Teoria da Autodeterminação. Para medir o tempo de reação total (TRT) foi utilizado o Software TRT_S2012. Os dados foram tratados por meio de estatística descritiva e inferencial (teste “U” de Mann-Whitney e correlação de Spearman). Os universitários praticantes de EF apresentaram melhor TRT, menor a motivação e regulação externa, maior regulação identificada, motivação intrínseca e índice de autodeterminação quando comparados aos não praticantes de EF. O TRT esteve relacionado positivamente à regulação externa e negativamente ao índice de autodeterminação, indicando que quanto maior a regulação externa para a prática de EF, maior também é o TRT. Universitários mais autodeterminados para a prática de exercícios físicos foram os que praticam exercício físico e apresentam melhor tempo de reação do que os universitários que não praticam.

CLIQUE AQUI E LEIA O ARTIGO COMPLETO

Autores:

Tânia Brusque Crocetta; Carla Maria de Liz; Jorge Oscar Calomena de Souza; Maick da Silveira Viana; Alexandro Andrade

Ano 2020

REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE

Ref.: Crocetta, T. B., Liz, C. M. de, Souza, J. O. C. de, Viana, M. da S., & Andrade, A. (2020). Motivação e tempo de reação de universitários praticantes e não praticantes de exercícios físicos. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 34(1), 177-185.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: