Dexaketo Textos Um Pouquinho de Amor Não Faz Mal a Ninguém

Um Pouquinho de Amor Não Faz Mal a Ninguém – Capítulo 18

Capítulo Anterior

Já na mansão, Bernardo viu que eu estava exausta e perguntou se eu não queria dormir. Eu dei um abraço forte no meu melhor amigo e perguntei: “Por que tanto ódio? Morreu a Luiza, agora morreu o Jon, ambos apenas porque queriam amar. Jon fez tantas atrocidades e morreu quando gritou que era gay. Que bosta de país,  é esse? Que merda de conservadorismo assassino, é esse? Será que a pessoa só pode amar quem a sociedade permite? Porquê?” Depois do desabafo, chorei muito. Bernardo começa a chorar comigo. Ele lembra o que lhe aconteceu por permitir que eu namorasse Luiza na sua casa.

Eu vou até minha mãe e tento abraça-la, mas ela me nega e afirma que eu sou culpada pela desgraça na família. Eu fico nervosa, grito com minha mãe e tento ir embora. Porém, Seu Renato me acalmam, afirmando que qualquer um falaria besteira com aquele contexto. Mesmo assim, resolvo ir pra casa, não merecia ouvir aquelas grosserias.

Ao chegar em casa, corro pra cama. Dormir era necessário, precisávamos mudar o mundo, mas pra isso, precisaria está 100%.

Algumas horas após tudo aquilo…

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: