A TURMA Dexaketo Textos

A Turma – Capítulo 3

Capítulo Anterior

Em torno das 13:30, começou a solenidade de “bem-vindo” dos calouros, por parte da instituição. João e Bernardo foram para o setor destinado as suas respectivas turmas. Bernardo, em Informática, e João, em Eletrotécnica. Após a solenidade, foi feito um passeio pelo CEFET, para que conhecessem toda a estrutura e recursos que estavam a sua disposição. Após o passeio, eles estavam cientes que no dia seguinte, começaria para valer a fase “cefetiana” de suas vidas.

Com o término dos protocolos, era hora de ir embora, mas Bernardo não conseguiu achar o João em lugar nenhum. Em meio a tudo isso, começa o intervalo para os veteranos, era dia de “hot-cat”, espécie de “hot dog” que mudava de nome devido a uma lenda que pairava na instituição. Bernardo começava a pensar em ir para casa só, quando, repentinamente, uma menina lhe chamou a atenção. Era como se não existisse nenhuma multidão por ali. Ela nem sabia que alguém a via, mas Bernardo estava hipnotizado, a ponto de em sua cabeça tocar a música “Sorte” da Gal Costa. Era como se o cupido o tivesse acertado sem dó, nem piedade. O menino que só havia se apaixonado por livros, agora estava apaixonado por uma das mais belas meninas que ele já havia visto.

Algumas horas depois, Bernardo estava na sala do apartamento, com a TV ligada, mas com a cabeça apenas naquela menina. João chega (Bernardo realmente voltou só pra casa) e percebe que Bernardo estava estranho. Na TV, estava passando a pior temporada da história da Malhação, mas Bernardo não estava reclamando. João muda para Record, e Bernardo não fala nada. João tira a roupa e fica só de cueca dançando na frente de Bernardo, mas ele não reagia. João belisca Bernardo, e nada. João desiste e vai tomar banho. Bernardo estava hipnotizado pela bela menina.

À noite, João convida Bernardo para ir na Luiza, ia ter uns “comes e bebes” por lá. Bernardo deitado, olhando para o teto, disse que dessa vez não iria. João se aproxima do amigo e pergunta o que estava acontecendo. Bernardo disse “nada”, mas um “nada” tão murcho que João se preocupou, porém resolveu deixar o amigo ali sozinho e ir para o comes e bebes. Quando João já saía, Bernardo pede para ele esperar, porque ele iria.

Quando chegam na Luiza, ela os recepciona, dessa vez moderadamente, sem beijos calorosos. João e Bernardo sentam no sofá, Luiza pede para eles irem para cozinha, pois os parabéns de 18 anos dela já ia começar. Quando chegam na cozinha, Bernardo paralisa novamente… Aquilo não podia está acontecendo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: