Dexaketo Textos Um Pouquinho de Amor Não Faz Mal a Ninguém

Um Pouquinho de Amor Não Faz Mal a Ninguém – Capítulo 5

Capítulo Anterior

Me assustei com Jon falando daquele jeito. Ele, que estava sentado no sofá, ligou a TV e me mostrou, eu e Luiza nos amando. Eu perguntei o que era aquilo. Jon me dá dois tapas, e fala gritando:

_Sapatão! Sapatão! Você é uma vadia sapatão! Meu Deus, minha irmã é uma sapatão! O que fiz para ter esta impura na minha família! Que Deus nos perdoe! Ainda faz isso com a outra! Também ter um amigo filho de comunista, dar nisso! Se perde! Vai apanhar até ficar normal, se endireitar, sua sapatão!

Naquele instante chegam nossos pais, eles perguntam o que se sucedia por ali. Os gritos de Jon eram tão alto, que Bernardo ouviu e veio tentar me acudir. Jon explica que eu era uma “desvirtuada”, e que Bernardo, “filho de comunista”, me transformou numa “abominação”. Ele mostra o vídeo da minha cena de amor com Luiza. Meu pai fica louco e parte para cima de Bernardo. A cada murro, ele o xingava de “Comunista pervertido”.

Quando Bernardo estava quase desconfigurado, chega o pai dele. Seu Renato chegou dando um “tapa no ouvido” de meu pai, e perguntando porque ele estava fazendo aquilo. Meu pai só sabia o xingar de comunista e dizendo que Bernardo tinha me descaminhado para o caminho do inferno. Naquele momento, eu que só sabia chorar, levei um cuspe na cara da minha própria mãe. Ela ainda disse que me levaria para o padre, que iria exorcizar o demônio que havia me dominado. Completamente exaltado, meu pai resolveu me expulsar de casa. Jon ainda disse que eu não levaria nada lá de casa. Minha mãe me tira de casa e me joga no corredor, logo após, meu pai fecha a porta. Eu só sabia chorar. Seu Renato, disse que iria levar Bernardo no hospital, porque ele estava muito machucado, mas que eu poderia ir dormir na casa deles até que tudo se resolvesse.

Na noite daquele dia, não consegui “pregar os olhos”, só pensava no que tinha ocorrido. Lembrei da fúria de minha família pelo simples fato de eu ser gay. Eu chorava quando lembrava que Bernardo apanhou apenas por me “alcovitar”. Diante tudo aquilo, resolvi fazer algo, usei o telefone da casa e liguei para Luiza. Após o alô…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: