Dexaketo Textos Uma Incrível História Euro-Americana

Uma Incrível História Euro-Americana – Penúltimo Capítulo

Capítulo Anterior

O soldado japonês, responsável pela guarda da duquesa, chega para vigiar a cela. Alessandra relembra de seus tempos no império asteca e em território maia. Ela sabia como fazer alguém ficar com pena dela. Ela faz aquela carinha de choro que era de cortar o coração, cai até algumas lágrimas. Nem os mais frios dos seres humanos resistiriam, imagine o pobre soldado.  Ele não resiste:

_Não posso deixar uma moça tão linda e sincera enjaulada, só porque aqueles “feiosos” querem dominar o mundo.

Ele a solta imediatamente. Alessandra sorri e agradece o soldado. Ela o abraça e para de chorar no mesmo instante. O japonês pede uma espada para lutar do lado dela e de Anastácia I.

A “traição” do japonês desencadeou uma nova virada na guerra, já que os outros soldados japoneses subornados também cruzaram os braços e decidiram não lutar mais pela “Frente”.

Ao fim daquele dia, Novo Portugal estava independente, livre de guerras e com Alessandra, de novo, como a única soberana do povo. Os japoneses voltaram para o Japão, cada um com 1 litro de Saquê dado pelo governo de Novo Portugal. Era a primeira derrota da “Frente”.

No império cearense, as regiões do Equador e da Venezuela são dominadas pela Frente, porém por pouquíssimo tempo. Guarniejez, pelo Facebook, percebe que a população não estava com a Frente. Ninguém suportava o modo de sociedade imposta pelos “feiosos”. Então, surge uma ideia, que ele repassa para Anastácia I, que a põe em prática.

De modo inédito, em 91 anos de império, Anastácia I anunciou:

_Súditos, fiéis ou não, lhes convoco para uma luta nossa, uma luta contra a “Frente”. Movimento de traidores que querem transformá-los em escravos. Convoco-lhes não pelo império cearense, mas por vocês, pela Bolívia, pelo Chile, pelo Rio Grande, por Santa Catarina, pelo Equador, pelo Piauí e por todos os ducados. Somente unidos venceremos esta guerra. Prometo, como agradecimento, decretar vossas independências ao fim da Guerra. Além disso, o estado que existir após tudo isso, lhes dará todo o suporte em seus primeiros anos de independência. Agora, juntos, vamos lutar contra eles.

Imediatamente, esta mensagem foi enviada a todos os celulares da população, além de passar em rede nacional de TV e Outdoors.

No dia seguinte, o resultado foi impressionante, o exército recebeu listas de pessoas, entre civis e militares, querendo lutar contra a Frente. Em um mês, estas pessoas foram preparadas e exércitos nacionais foram montados e equipados com o que havia de melhor. A Frente passou a perder a força e homens para lutarem por eles, já que muitos passaram a lutar por sua pátria. Argentinos, Colombianos, Uruguaios e Paraguaios que já eram independentes resolvem dar suporte ao Império Cearense.

Em Novo Portugal, Alessandra abre inscrições para candidatos, criando a primeira eleição para Presidente e Deputados do arquipélago, além de decretar a separação formal de Novo Portugal do Império Cearense. Além disso, após reunião com a Espanha, ficou acertado que os portugueses teriam seu território de origem na Península Ibérica devolvida. O povo português aclamou Alessandra, pedindo para era ser a Primeira Presidente de Portugal. O território de Nova Portugal seria devolvido para Cabo Verde, que voltaria a existir.

Em meio as dificuldades enfrentadas, devido à escassez de alguns recursos. Anastácia I resolveu ir ao campo de batalha no Piauí. Guarniejez ficou no Ceará, Vicente, Rio Grande do Norte. Carolina, mesmo de resguardo, resolveu defender o seu amado povo goiano. Em meio aquele momento ruim, a URSS e os EUA entraram com o apoio bélico e monetário ao Império Cearense. A A.J.M, a China e o Japão (já sem os subornados) enviaram tropas para auxiliarem os cearenses na guerra.

Enquanto isso, os astecas invadiram o Equador e a Venezuela, passando a ser mais um aliado do Império cearense contra a Frente. O imperador Juan Tinatchán disse:

_Este é o modo de retribuir a ajuda na guerra mundial.

As tropas cearenses e astecas arrasaram com a tropa da Frente, em todos os campos de batalha. Em dois meses, a força da Frente se reduziu apenas ao Maranhão.

O império cearense agradeceu, mas dispensou a ajuda dos astecas e dos aliados nessa última parte da guerra. Era questão de honra para Anastácia I recuperar a região e devolver o Maranhão aos maranhenses.

A batalha entre os soldados comandados por Anastácia I e os soldados da Frente foi bastante sangrenta. Morreram vários civis inocentes, em atentados feitos pela Frente. São Luís estava mergulhada no sangue.

Por ordem de Anastácia I, Vicente, Alessandra, Guarniejez e Carolina ficaram responsáveis em decretar as independências das antigas províncias, suas uniões e eleições. Além disso, Vicente se tornou mediador nas reuniões que definiram fronteiras no mundo, principalmente na questão entre rebeldes nacionalistas e a União Bolchevique.

Guarniejez e Carolina resolveram desobedecer a imperatriz e foram ao Maranhão, com grupos de soldados de Fortaleza e de Goiânia. Alessandra vai até a URSS, fala com Sara, que volta a enviar o auxílio. A própria Alessandra manda soldados portugueses para dar o apoio necessário.

Na véspera de Natal, Anastácia I é surpreendida com a notícia de que os condes e duques estavam mortos. Ela abre um sorrisão belíssimo ao se deparar com os grupos de soldados que cercavam São Luís, que estavam ali para ajudá-la. O Supremo General declama:

_Minha Imperatriz, o Mundo veio lhe ajudar a dar um ponto final a essa guerra. Agora só faltava Leodomar!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: